O Rapport: Criando Conexões com todos

Técnica desenvolvida pelos mestres da PNL, o rapport objetiva estabelecer uma relação harmônica e de confiança entre emissor e receptor

Do idioma francês que significa “relação”, saiba qual a importância do rapport no coaching como técnica de programação neurolinguística (PNL). 

O processo permite estabelecer um relacionamento em conexão, elevando os níveis de reciprocidade, confiança e afinidade.

Durante as sessões, o rapport se mostra como uma excelente maneira de estabelecer uma sinergia entre coaching e cliente, tornando-o mais receptivo. Este acolhimento faz com que o coachee se sinta mais à vontade para falar de suas experiências. Há pessoas mais suscetíveis ao rapport ou entendimento, causando uma empatia instantânea. Em outras situações, onde a técnica não se desenvolve com facilidade, coach e coachee podem alcançar essa conexão por meio de atalhos.

Não é possível forçar um rapport, pois acontece naturalmente. Para que aconteça a interação, é necessário a demonstração de interesse sincero pelas experiências do outro. Alguns coachs estabelecem essa ligação com naturalidade e respeito, gerando confiança sem que pareça uma atitude conscientemente deliberada.

Componentes do rapport

O entendimento de qualquer técnica parte do compreendimento dos componentes que a compõe. Neste caso, é preciso muita sensibilidade para sentir a conexão que ultrapassa o campo das palavras. Saiba sobre os componentes em questão e que merecem mais atenção durante o processo.

1 – Contato Visual

2 – Expressão Facial

3 – Postura Corporal

4 – Equilíbrio Emocional

5 – Tom de Voz – (Timbre)

6 – Andamento – (Timing)

7 – Volume – (Intensidade da voz)

8 – Comunicação Verbal – (Palavras)

9 – Comunicação Não-Verbal – (Gestos)

A técnica

O rapport pode se apresentar de diferentes maneiras. O mais conhecido é o espelhamento, que consiste na imitação sutil de algumas ações do coachee. Essa reprodução compreende na incorporação da linguagem corporal do interlocutor, como gestos, respiração, expressões faciais, posição de pernas e mãos, postura, entre outros fatores que ajudem a criar empatia. A aplicação da técnica exige cuidados, pois não pode ser interpretada como deboche por parte do cliente.

Outra técnica muito utilizada é a reciprocidade. Emprega-se o método de doar-se em prol do próximo, o famoso “fazer o bem sem olhar a quem”. O compartilhamento de interesses em comum é uma outra definição deste processo. Essa técnica se assemelha com nosso dia a dia, onde pessoas se ajudam e constroem uma relação de companheirismo.

Direta ou indiretamente praticamos o rapport em algum momento, durante nossos relacionamentos. Compreender bem o mundo de cada indivíduo auxilia para uma boa convivência em família, relacionamento amoroso, no trabalho e na comunidade.

O Rapport no processo de coaching

Assim como em nossos relacionamentos familiar e amoroso, amizade e profissional, no processo de coaching, respeito e confiança são essenciais para um bom desenvolvimento. A boa comunicação permite que o coach inicie o processo de identificação. Compreende-se as necessidades do coachee, identifica seu modo de agir, observar e comunicar, oferecendo assim os recursos para que ele alcance os objetivos desejados.

Aplicar o rapport durante as sessões de coaching, permite ao cliente sentir-se mais à vontade, se expressando com mais facilidade e conforto. Além de se preparar melhor para receber as propostas de mudanças. Seu propósito é de instituir uma relação de afinidade de modo geral, permitindo a aproximação do coach e coachee. Esses laços se fortalecem por meio da confiança e respeito adquiridos no decorrer da conversa. Pontos importantes que contribuem no desenvolvimento do processo, envolvendo de fato o cliente e facilitando o caminho até o estado desejado.

Apesar de ser uma técnica desenvolvida por mestres da programação neurolinguística, todos somos capaz de realizar o rapport. Uma forma de aplicar a técnica de maneira simples, é em nosso cotidiano. A empatia deve estar presente em todos os momentos de nossas vidas, melhorando nossos relacionamentos e bem-estar.

Praticar a empatia é sinônimo de viver bem e se adaptar aos diferentes ambientes, sem deixar a dignidade de lado. Entender o próximo e compartilhar experiências contribuem para um estado de espírito mais leve e compreensivo.

Pratique seu rapport pessoal e busque a leveza de uma vida sem negatividade.

Compartilhe suas experiências e ajude outras pessoas a transformarem suas vidas. Escreva para nós nos comentários.

O Rapport: Criando Conexões com todos
5 (100%) 1 vote

Deixe um comentário